Museus

SÉRIE MUSEUS!

Nossa dica de hoje iniciará uma série de dicas quinzenais sobre MUSEUS! Inicialmente, sobre os Museus de Salvador. Daí em diante, vamos enveredando por este universo da História, Cultura, Ciências e Arte!

A palavra “museu” tem a sua origem no latim, vem de MUSEUM, expressão que por sua vez, origina-se do grego MOUSEION, que tem como significado “próprio das musas” referindo-se ao “templo onde residem as musas” – divindades mitológicas gregas, que inspiravam todas as formas de arte. Mais tarde seu sentido mudou para abranger um local onde são guardados e expostos exemplares de Artes, Ciências e História que refletem a Cultura.

 “De acordo com a Lei nº 11.904, de 14 de janeiro de 2009, que instituiu o Estatuto de Museus, “Consideram-se museus, para os efeitos desta Lei, as instituições sem fins lucrativos que conservam, investigam, comunicam, interpretam e expõem, para fins de preservação, estudo, pesquisa, educação, contemplação e turismo, conjuntos e coleções de valor histórico, artístico, científico, técnico ou de qualquer outra natureza cultural, abertas ao público, a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento.” (Instituto Brasileiro de Museus – Ibram)

Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA)

 

Decidimos inaugurar esta sequência com um dos mais belos Museus de Salvador: Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) – Carinhosamente chamado de MAM!

O MAM-BA, foi criado em 1960, no Foyer do Teatro Castro Alves, mas em 1963, firmou como sede permanente, o Solar do Unhão, conjunto arquitetônico do Século XVI, banhado pela Baia do Todos os Santos.

A criação do projeto – instalação do MAM-BA no Solar do Unhão – breve história recente e personagem relevante: “A arquiteta italiana Lina Bo Bardi criou o projeto do MAM-BA com a intenção de criar um museu-escola para incentivar e expor a produção cultural da região Nordeste. Apesar da importância de Lina para o MAM-BA, a arquiteta é demitida em 1964 com o Golpe Militar”.

Considerado principal espaço para a exposição de arte contemporânea da Bahia e um dos mais importantes do país, O MAM-BA, é composto de cinco salas expositivas que recebem obras de artistas renomados do Brasil e exterior. Conta uma galeria ao ar livre (o Parque das Esculturas) e uma sala de cinema e da Sala Rubem Valentim, além do belíssimo espaço ao ar livre, onde temos contato com um dos mais belos por do sol da Cidade!

A programação do MAM-BA, engloba eventos artístico-culturais de diferentes linguagens e ações educativas e artísticas onde temos a oportunidade de vivenciar experiencias tocantes, desde uma vista maravilhosa até o contato com uma diversidade de linguagens artísticas!

Neste momento de ainda necessidade de distanciamento físico, diversos Museus passaram a disponibilizar tours online gratuitos. Hoje lhes oferecemos a experiência de um tour online do MAM-BA, através do link:

https://www.bahiaview360.com.br/mam/

E você, gosta de visitar Museus?

 

Museu Geológico da Bahia (MGB)

Nossa dica de hoje é o intrigante Museu Geológico da Bahia - MGB! Com um acervo de mais de 20 mil peças, um dos maiores patrimônios do Estado. O espaço tem sede na Avenida Sete de Setembro, no charmoso Corredor da Vitória, em Salvador.

Num contato com um breve histórico, conta-se que O Museu Geológico da Bahia foi inaugurado em 4 de março de 1975 no Centro Administrativo da Bahia, no prédio da antiga Secretaria de Minas e Energia, inicialmente com um conjunto de 3 mil exemplares de rochas, minerais e fósseis.  Em 2002, o Museu foi reinaugurado e estabelecido em sua espaçosa sede própria - uma construção de meados do século XX, com estilo Art Déco - que configura um recinto envolvente e muito agradável, composto por vários pátios e jardins.

O Museu Geológico da Bahia, por ele mesmo:

“Abrigamos um dos maiores acervos fósseis e minerais da Bahia, dividido em exposições temáticas que proporcionam uma viagem no tempo geológico e mostram, em suas mais de 20 mil peças, o patrimônio mineral do Estado. Nossas instalações e coleções são equiparadas a alguns dos melhores museus de geociências da Europa e Estados Unidos. Entre as curiosidades encontradas, possuímos uma réplica do maior meteorito encontrado no Brasil, no município baiano de Monte Santo em 1784 e muitas outras curiosidades sobre as riquezas de nosso subsolo”

O Algo mais: Este Museu dispõe ainda de um auditório/cinema de 125 lugares e um café à sombra de uma frondosa mangueira com uma bela vista para uma obra do artista plástico, o muralista Juarez Paraíso.

O Museu Geológico, trata-se de uma instituição viva! Consistindo em centro de pesquisa, divulgação e preservação do patrimônio geológico da Bahia, onde são desenvolvidos projetos de cunho científico, educativo e cultural.

A fim de propagar um pouco da historicidade geológica de Salvador e do Estado, o Museu Geológico da Bahia, oportuniza um tour virtual. Oferecendo aos internautas o acesso a milhares de itens, dentre eles as pedras preciosas, os fósseis arqueológicos, os corpos celestiais, as réplicas gigantes de animais pré-históricos e outras tantas atrações. Entre as principais atrações do tour virtual, destacam-se:

·            A Sala do Universo, que proporciona uma vivência sensorial, junto com a origem das galáxias;

·         O Salão dos Fósseis, que apresenta uma reprodução gigante de um Mastodonte e fósseis arqueológicos de animais encontrados em municípios baianos;

·            Os Meteoritos, pedras preciosas e a diversidade mineral de Salvador e do Estado.

Museu Geológico da Bahia – MGB:

 

Informações:
Endereço: Av. Sete de Setembro, 2195 – Vitoria, Salvador.

Telefone: (71) 3336-3498.

 

Site: http://www.mgb.ba.gov.br/

 

Tour virtual: https://www.salvadordabahia.com/experiencias/museu-geologico-da-bahia/

 

Você sabia da existência de uma casa tão rica em conhecimentos e de fácil acesso?

Palácio da Aclamação

 
Fachada_acesso_Passeio_Público_2.jpg

Avançando com a Série Museus, hoje apresentamos o Palácio da Aclamação, um dos mais belos e significativos museus-casas de Salvador - Bahia! Exibindo uma fachada com estilo neoclássico, tem seu interior decorado por painéis encantadores, laços, guirlandas e medalhões criados pelo artista baiano Presciliano Silva.

Este Museu que está localizado no Centro de Salvador, no largo de mesmo nome, anexado ao Passeio Público da Cidade e nos presenteia com uma bela vista, de suas espaçosas varandas, a Baía de Todos os Santos!

Seu acervo é composto por mobiliários em estilo D. José I e Luiz XV, objetos de bronze, porcelana e cristal, tapetes persas e franceses, além dos já citados painéis e forros. Este acervo é distribuído por dois pavimentos: No térreo, estão o Salão Nobre, com magnífico lustre de cristal bacarat e bronze, seu Saguão, que foi elaborado com decoração neoclássica, e o Salão de Banquetes. No andar superior, integram-se: Dormitório, sala de almoço, capela e copa

Importante destacar que entre 1917 e 1967, foi a residência oficial dos governadores da Bahia, sendo cenário de eventos históricos, despachos dos governadores, e acolhimento de  visitantes ilustres, a exemplo da rainha da Inglaterra, Elizabeth II, em 1968. Em 1990, se tornou Museu e no ano de 2017, se constituiu como Espaço para Eventos!

Vale conferir este elegante e admirável espaço que contém um importante trecho de nossa história!

 

Para saber mais, visite suas páginas:

Facebook - Palácio da Aclamação

Instagram – cerimonialpalaciodaaclamacao

 

Endereço:  Av. Sete de Setembro, 1330 - Campo Grande, Salvador – BA - Telefone: (71) 3117-6150.

 

E você conhece os Palácios de Salvador?

Conta pra gente!

Museu Afro Brasileiro - MAFRO

 

Honrando e celebrando as matrizes africanas, hoje apresentaremos o Museu Afro Brasileiro, o MAFRO!

Sediado em Salvador, num esplêndido conjunto arquitetônico, local onde funcionou o Real Colégio dos Jesuítas, do século XVI ao XVIII e a partir de 1808, a primeira Escola de Medicina do Brasil, situado exatamente no Largo do Terreiro de Jesus, Centro Histórico da Cidade.

O MAFRO foi criado em 1974 e inaugurado em 07 de janeiro de 1982, a fim de atender aos anseios por um espaço de acolhimento, conservação e disseminação dos acervos relativos às culturas africanas e afro-brasileiras, visando intensificar as interações com a África e confirmar a relevância deste Continente na formação da cultura brasileira, bem como estimular o contato com a comunidade local – Assim fundamenta-se sua criação, que corresponde ao Centro de Estudos Afro-Ocidentais da Universidade Federal da Bahia. Vale destacar que seu projeto original, foi concebido pelo antropólogo e fotógrafo Pierre Verger, e  desenvolvido no início da década de 80 pela arquiteta Jacyra Oswald e pela etnolinguista Yeda Pessoa de Castro, com a contribuição de outros professores e pesquisadores da Universidade Federal da Bahia e consultores externos.

Sob a Gestão do Museólogo Marcelo Cunha e com participação de uma equipe de consultores, entre 1997 e 1999, o MAFRO passou por um processo de modernização da sua exposição, que vem sendo redimensionada regularmente, com modificações nos últimos anos. Desde a década de 90, a gestão técnico administrativa do MAFRO, vem sendo desenvolvida pelos docentes do Departamento de Museologia da UFBA. Ao longo desses anos, este belíssimo Museu vem se consolidando “como um espaço de investigação e ensino relacionados à museologia e seus processos operatórios, promovendo atividades de pesquisa, ensino e extensão, difundindo informações oriundas do seu acervo, por meio de cursos, exposições temporárias e

publicações, procurando oferecer subsídios aos pesquisadores e inúmeros estudantes que visitam o museu”.

 

O Museu Afro Brasileiro da Universidade Federal da Bahia, abrange um acervo de mais de 1100 peças que integra as duas culturas: da cultura material africana e a coleção da cultura material religiosa afro-brasileira. Conta com uma biblioteca online e uma Revista Eletrônica – Africanidades; contém uma diversidade de produções de artigos, teses e dissertações, resguardando e disseminando conhecimentos nesta seara. Este espaço riquíssimo, conta a história de variadas exposições: de longa duração e exposições temporárias. Também dispõe de uma equipe técnica que desenvolve um Projeto de atendimento a visitações previamente marcadas, para o público escolar e em geral, que neste momento encontra-se desativado por conta da necessidade de distanciamento físico, causado pela COVID-19.

Importante ressaltar que ao longo de sua existência, o MAFRO vem contribuindo ativamente com a preservação e difusão destas importantes matrizes culturais para a constituição do povo brasileiro.

 

E você, já ficou curioso frente ao belo prédio situado no Terreiro de Jesus?

 

Já visitou ao MAFRO?

 

Quer saber mais? Se liga:

MAFRO – Museu Afro-Brasileiro

Largo do Terreiro de Jesus, Prédio da Faculdade de Medicina da Bahia,

CEP 40.026-010 – Centro Histórico Salvador – Bahia.

Telefone: +55(71)3283-5540

E-mail: mafro@ufba.br

Palacete das Artes Rodin Bahia

 

O Palacete das Artes Rodin Bahia, uma filial do Museu Rodin em Salvador - a primeira fora da França - nos proporciona uma deliciosa sensação de volta no tempo e transfiguração do espaço, unindo num mesmo local, uma construção do século XIX, com a modernidade, por ter um anexo com traços contemporâneos, bem como por abrigar diversas exposições temporárias; tanto de importantes artistas no âmbito das artes plásticas da Bahia, quanto do Brasil e de outros países. Em seus jardins, podemos desfrutar, além das árvores centenárias e espécies diversas de flora nativa, estão expostas quatro esculturas, em bronze, do escultor francês

Auguste Rodin. O espaço externo, também nos presenteia com uma loja e o charmoso Solar Café!

Antes, era conhecido como O Palacete do Comendador Bernardo Martins Catharino, ou Villa Catharino, por conta de ter sido o lar do Comendador Bernardo Martins Catharino. Em 2003, este belo espaço foi destinado a sediar o Palacete das Artes, um espaço cultural que se pretende ponto de encontro e área de convívio, um local de agregação de valor e de vida.

Uma curiosidade é que o prédio foi escolhido, para sediar uma filial do Museu Rodin, ter por um conjunto de características favoráveis, sendo uma delas o fato de guardar uma relativa semelhança com o Hotel Biron, local onde está instalado o Museu Rodin Paris (edificação do século XVII), uma vez que o estilo eclético guarda fortes referências arquitetônicas francesas. Este projeto foi tão bem sucedido, que, em 2006, recebeu o primeiro lugar da Bienal de Arquitetura da Venezuela e o segundo lugar na Bienal de Arquitetura Argentina.

Ganhe tempo e experimente o prazer de conhecer e saborear este charmoso espaço cultural, por enquanto de forma online através da rede: https://museupalacetedasartes.wordpress.com/ e @PalaceteDasArtes, logo que possível, presencialmente, no endereço R. da Graça, 284 – Graça, Salvador – BA, 40150-060