Semana da Cultura Nordestina - Frevo

Frevo

O Frevo é uma dança folclórica, típica da Região Nordeste do Brasil, tendo destaque no carnaval de Recife – Pernambuco. A Origem histórica do frevo, segundo pesquisas, se dá entre o fim do século XIX e o início do século XX - em Recife, resultante da disputa entre os povos escravizados, que tinham se tornado livres e as bandas militares. O contexto em que essa manifestação cultural nasceu, era semelhantemente frenético em termos históricos, políticos e sociais a exemplo: O pós-abolicionismo e a emergência de uma nova classe operária.

Foto IPHAN

“A expressão frevo nasce como uma corruptela do verbo ferver (frever)” - o significado é o mesmo de fervura, ouseja, agitação, rebuliço. Traz como características, a música e a dança com um ritmo muito acelerado e frenético; a música, tocada por instrumentos de sopro (fanfarra), e a dança acompanhada por movimentos acrobáticos, elementos de capoeira e outras danças folclóricas, figurinos coloridos e utilização de pequenas sombrinhas – estas auxiliam na coreografia ajudando os dançarinos a obter equilíbrio ao executar os passos acrobáticos. Além disso, trazem um colorido especial à dança. Embora seja uma dança que arrasta multidões, tem uma complexidade, com passos complicados, muita improvisação, que misturam rodopios, gingados, passos miúdos, malabarismos, existindo mais de cem passos conhecidos, sendo os mais famosos: Dobradiça, Fogareiro, Ferrolho, Locomotiva, Tesoura, Mola Capoeira, Parafuso, entre outros. ​​ Ao longo da história, o frevo teve reconhecimentos como: Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 2007 e em 2012, o frevo foi incluído na Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas (Unesco).


Foto IPHAN


Um lugar para quem quer saber tudo sobre frevo: O Paço do Frevo é um centro de referência de ações, projetos e atividades de pesquisa, documentação e difusão da dança e música do frevo, com o objetivo de promover sua prática para as gerações vindouras. Quer saber mais¿ O Paço do Frevo, fica localizado na Praça do Arsenal da Marinha, no bairro do Recife- PE e também online: https://www.pacodofrevo.org.br/

Foto IPHAN

Trazemos como representante do Frevo, o talentosíssimo e artista multimídia Alceu Valença. Nascido em São Bento do Una (PE), quarto filho de Décio e Adelma. Criou e apurou sua musicalidade, através do rádio, da feira e dos saraus promovidos por seu avô na fazenda Riachão. Suas referências se baseiam no cordel, no circo e na canção brasileira, conexões que se aprimoraram em suas caminhadas por Garanhuns, Recife e Olinda. O Artista foi revelado nos Festivais realizados na década de 70, perante grandes plateias, o cantor e compositor seguiu em frente, preservando sua essência sertaneja, de mamulengo brincante e domador de palcos. Alceu Valença é muitos em um: poeta, regente do carnaval, diretor de cinema, entre outras atividades que o apaixonam. Conhecer sua obra, possibilita os primeiros passos para uma tentativa de desvendar os tantos mundos.

Foto Youtube

A relação de Alceu Valença com o carnaval: ​ “... O Carnaval é uma das referências da minha música. Tudo meu é pessoal, porque é vivenciado. Tenho o Nordeste profundo, o sertão profundo.... Quando fui para o Recife, morei na Rua dos Palmares, onde, durante o carnaval, passavam todas as manifestações: Frevo de canção, de bloco, de orquestra; afoxé; ciranda; maracatu rural e baque virado. Passo os dias de Carnaval em Pernambuco: Olinda e cidades próximas... A diversidade do carnaval pernambucano se fundiu à minha personalidade, que também é assim. ” Destacando ainda que o músico, em 1992, criou o Bloco “Bicho Maluco Beleza” que homenageia personalidades, com o título de “Cidadão Maluco Beleza”, dentre elas, Naná Vasconcelos e Moraes Moreira. O Bloco ganhou fama através da música cantada pelo próprio Alceu Valença.

0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo