Cinema: Antônio Pitanga atua na série “Sonhadores”

Antônio Pitanga atua na série “Sonhadores”, e é o representante do Brasil na seleção oficial do Festival de Cannes 2020.


O ano era 2009, por ocasião da 35.ª edição da Jornada Internacional de Cinema da Bahia, onde o grande homenageado daquela edição foi Antônio Pitanga, o ator baiano que já era uma referência artística para mim e muitos outros. Eu era apenas uma aspirante a cineasta mas que fui ao evento determinada a me aproximar e lhe convidar para fazer um filme comigo. Desse encontro narro a amizade que se constituiu ao longo do tempo e que me honra imensamente tê-lo comigo, em 2020, atuando na série que produzi “Sonhadores”, onde ele é Zinho, mas disso eu falo adiante.


Pitanga estava sozinho, de pé no fundo da Sala Walter da Silveira, nos Barris, toquei em seu ombro, ele se virou e eu me apresentei e disse que meu intuito era convidá-lo para ser parte do documentário sobre “Sol Sobre a Lama” (Alex Viany, 1963), longa baiano produzido por feirantes de Água de Meninos, onde Pitanga contracenou com Geraldo d’el Rey, Gessy Gesse, Glauce Rocha, Tereza Raquel, Jurema Pena, Othon Bastos… Para meu espanto sua resposta marcou uma decisão que norteia minhas produções, em especial meus documentários. Ele me perguntou: “E tem alguém vivo deste filme, minha filha?”

Realmente muitos já tinha ido para o orun, Alex, o diretor, tantos outros da equipe técnica e a maioria do elenco principal já não estavam mais entre nós para contar o que tinham vivido. Tive uma reação impulsiva e, entusiasmada, sorri dizendo: “Estou diante de um, vivíssimo e com muita história para contar e filmes a fazer”. De lá pra cá, vivemos 14 anos de uma linda amizade e sempre tenho em mim essa urgência em contar histórias com e dos nossos mais velhos.


Estreamos o documentário “Água de Meninos – A Feira do Cinema Novo” em 2012. Nele Pitanga fala sobre as experiências no cinema e seu engajamento nas causas sociais, fruto semeado pelo Cinema Novo e seus interlocutores. Encanta, com a memória e vivacidade, ao narrar sua ligação prematura com a feira, por onde circulava como um “capitão da areia”, em sua infância.


Durante nossos encontros prévios às filmagens ele me disse que Glauber Rocha havia lhe pedido para cantar a música “Diplomacia”, de Batatinha, e como num insight lhe pedi que repetisse a experiência conosco e assim ele fez, cantou interpretando esse samba triste e finalizando o documentário em um clipe emocionante, confira aqui:


Antônio Pitanga é um dos atores brasileiros mais premiados e reconhecidos de todos os tempos, falar do Cinema Novo é falar deste que tornou-se ator emblemático do movimento, atuando em filmes como “Barravento”, “A Grande Feira”, “A Idade da Terra” e “O Pagador de Promessas”, filme que em 1962 levou a Palma de Ouro, prêmio máximo do Festival de Cannes, na França.


Em junho de 2020, a boa nova vem deste mesmo canto do mundo, com “Casa das Antiguidades”, primeiro longa metragem de João Paulo Miranda Maria. Protagonizado por Antônio Pitanga, é o único representante do cinema brasileiro na seleção oficial do Festival de Cannes. Esse capoeirista mental, driblou a tudo e a todos no alto dos seus 81 anos e estampa sua pele preta no festival francês, eleva positivamente nosso cinema para os olhos do mundo, rompe preconceitos e decola em um prestígio que vai na contramão do atual desmonte da nossa cultura, tristemente promovido pelo governo federal. Em “Casa das Antiguidades” Pitanga é Cristóvam, um operário transferido para uma cidadezinha de colonização austríaca no sul do Brasil, uma comunidade de cabelos loiros e olhos claros, onde seu personagem vai ficando deslocado, enquanto o racismo ecoa nas paredes da fábrica onde trabalha.


Acompanhar sua trajetória cada vez mais de perto, me fez tornar-me cada vez mais fã desse “Ogum” destemido, “um negro em movimento”, como costuma se autointitular. Aquele que propõe e abre frente levando com ele aqueles em que acredita. E foi dessa boa sorte que chegamos ao set de produção do documentário “Pitanga” (2017), dirigido por Beto Brant e sua filha, Camila Pitanga. Fui convidada pelo Beto, por meio de sua indicação, e levada a diretora de produção das filmagens na Bahia. “Pitanga” é filme-experiência, não saímos os mesmos depois de vê-lo, sua jornada de vencedor é inspiradora e transformadora.


O atual ponto de cruzamento de nossas vidas, é com a série “Sonhadores” onde ele encarou o Zinho, melhor amigo de Miguel (Fernando Alves Pinto), um velho roqueiro que segue com seus excessos, bebe diariamente e bastante, não se importa muito com o que pensam dele. A série com oito episódios, é uma comédia dramática filmada em Salvador, em junho de 2018, com direção e roteiro de Júlia Ferreira, e comigo na Produção Executiva. “Sonhadores” estreia em julho na TV Kirimurê e na Amazon Prime Video.

A série conta a história de Rafa, adolescente de grande sensibilidade e seus desafios: o afastamento de seu pai, Miguel, - tendo que salvá-lo da pobreza e depressão; a tentativa de reunir os pais; o bullying na escola; a descoberta da sexualidade e das drogas. Chegamos até aqui parecendo que não estamos vivendo em pandemia, que não estamos enlutados por quase 60 mil mortos no Brasil, mas estamos. Acontece que nossa produção cultural se sobrepõe a tristes realidades como essa que estamos vivendo para não permitir chegarmos a morte por inanição existencial de um mundo sem arte. Essa realidade pandêmica não nos calará, seguimos levando nossa produção cultural, abrindo caminhos sem respeitar fronteiras ou limites imaginários.


Pitanga inspira admiração por sua longa carreira, várias premiações em mais de 60 filmes e peças de teatro, de numerosas novelas e séries. Feitos que o levaram a ser tema da Escola de Samba Unidos do Porto da Pedra no desfile em 2019. E como esse fenômeno não se curva diante das adversidades, ele está em fase de pré-produção de “Malês” , filme sobre a Revolta dos Malês, ou o maior levante de escravos registrado na história do país (em 1835) em que ele assinará como diretor de cinema, função que ele deseja seguir desempenhando.

Pitanga concretizará um projeto idealizado há mais de dez anos, o roteiro é de Manuela Dias (autora de “Amor de mãe”), e no elenco nomes como Lázaro Ramos, Camila Pitanga, Rocco Pitanga e Seu Jorge. As gravações estão programadas para o primeiro semestre de 2021, serão sete semanas de filmagens em Salvador.


Com o refrão alegre do samba enredo do Porto da Pedra convoco a todos a cantar e seguir o site INVENTIVIDADE e acompanhar os conteúdos em que destacamos os nossos mais velhos, suas sabedorias, experiências, um lugar de troca intergeracionais, com o intuito de impulsionar nosso desejo por um mundo melhor.


“No cinema novo fiz brotar,

Resistência popular,

Eu sou Pitanga!

Na tela a pele negra reluz,

Um gingado que seduz,

Eu sou Pitanga”


Serviço: Água de Meninos - a Feira do Cinema Novo. https://tamandua.tv.br/filme/?name=agua_de_meninos_a_feira_do_cinema_novo

Sonhadores - Série estreia em 04 de julho às 17h na TV Kirymuré, Canal 10.2 e na Amazon Prime Video a partir de 05 de julho/2020

0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo